METODOLOGIA

A metodologia do projeto foi desenvolvida em duas fases. Numa primeira fase, foi realizada uma pesquisa exaustiva, quer bibliográfica quer sobre projetos similares realizados noutros países. Numa segunda fase, tendo em vista adaptar o modelo à realidade portuguesa, um conjunto de especialistas em recursos humanos foram convidados a dar a sua contribuição. Essa contribuição, de grande valor, permitiu que o modelo a utilizar avalie as competências e características de personalidade consideradas, por estes especialistas, como as mais relevantes para um gestor de pessoas em Portugal.

Desta forma, o modelo adotado carateriza o gestor nas seguintes áreas:

·         Desenvolvimento e o desempenho das pessoas dentro da sua equipa – Colaboradores;
·         Desenvolvimento e o desempenho da equipa – Equipa;
·         Desenvolvimento e o desempenho da empresa de que fazem parte – Empresa;
·         Desenvolvimento social – Sociedade.

Estas dimensões reúnem as competências do gestor, ou seja, o que o gestor pratica enquanto líder da sua equipa. Aqui é medido, entre outros aspetos, a motivação que o gestor transmite à sua equipa, a forma como facilita a comunicação dentro da equipa e como comunica a visão da organização. No entanto, a forma como o gestor pratica essas ações é igualmente um fator importante, por isso a avaliação das características pessoais do gestor é também parte integrante do modelo adotado. Nesta dimensão são avaliados aspetos como autenticidade, integridade, flexibilidade, resiliência e coragem, entre outros.

A avaliação do gestor nestas quatro dimensões referidas (colaborador, equipa, organização, sociedade e características pessoais) é efetuada pelos elementos da sua equipa.

 

APLICAÇÃO

Os destinatários do estudo são as chefias diretas (gestores de pessoas que tenham pelo menos cinco pessoas a reportar-lhes diretamente) e as chefias indiretas de segundo nível (gestores de pessoas que tenham pelo menos dez pessoas a reportar-lhes direta ou indiretamente).

O processo inicia-se com a candidatura dos gestores, podendo estas ser apresentadas pelas organizações, que candidataram o(s) seu(s) gestor(es) de pessoas, ou a título individual com autorização da respetiva organização.

Depois da formalização da inscrição, é solicitada a indicação de listagem de colaboradores que reportam direta ou indiretamente aos candidatos, há pelo menos seis meses, para integrarem a base de sondagem do estudo de avaliação dos gestores de pessoas.

Em seguida, é realizado um convite a cada elemento da equipa para responder a um questionário que reúne mais de 60 aspetos a serem caraterizados, de acordo com a perceção que detêm do seu gestor. O questionário é disponibilizado via e-mail aos inquiridos, sendo respeitada a confidencialidade das respostas individuais.

Após o período de resposta aos questionários, é efetuado o tratamento das respostas, em que a pontuação final de cada candidato é calculada com base na média ponderada das respostas ao questionário relativas ao candidato em questão (com resultados expressos na escala de 1-100).

É a partir dos resultados apurados que são atribuídos os prémios. O ranking dos Melhores Gestores de Pessoas é ordenado por ordem decrescente de pontuação total obtida. Para efeitos da classificação final não são considerados candidatos com menos de 5 questionários respondidos e/ou taxa de resposta abaixo de 70%.

A cada candidato é disponibilizado um relatório individual em suporte eletrónico contendo a análise, por categoria, das dimensões do estudo, bem como um benchmarking com os resultados globais e recomendações de melhoria.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone